28 de out de 2009

A única coisa que você vê, é você ;

No que você quer acreditar ? Quer que eu te diga que nunca mais quero te ver ? Tudo bem. Eu direi. Não será com sinceridade. Aliás, tudo que eu tenho feito essa semana, foi meio que falsamente. Eu estou me sentindo, finalmente, "desligada" há alguns dias. Eu consegui o que eu queria... Voltei para o meu mundo, lugar onde a segurança é mais iminente. O mais incrível é que parece até que a natureza está cooperando comigo. Minhas tardes tem sido chuvosas, sozinhas, rodeada de porcarias, conversas sem sentido com pessoas sem sentido. E eu me sinto perfeita exatamente assim. Tenho feito mais coisas pela minha própria vontade... Tenho me aproximado mais de mim novamente. E acho que isso é bom. Por enquanto pelo menos. Até alguma outra coisa estourar e eu voltar ao meu antigo estado deplorável. O mais impressionante, é que falo nisso como uma coisa esperada. Acho que meu psicológico está seriamente afetado. Recentemente tenho esperado por mais catástrofes, já que a minha maior perdição já foi esquecida. Talvez eu tenha me acostumado. Ou até gostado. Apesar de que não saí do meu estado "sem vida", ou como me chamaram ontem, "zumbi". Eu ri muito quando me falaram isso, porque é exatamente como tenho me sentido. Minhas olheiras, minha pele cada vez mais pálida, minha aparencia doente, os cérebros são na verdade as besteiras que como... Mas não me importo. Não tenho me importado com mais nada. Estou muito mais seletiva. Consigo contar nos dedos as pessoas que realmente gosto, que realmente são essenciais pra mim. Consigo mostrar parte da minha necessidade até, por carência na maioria das vezes. Mas, carência ou não, é uma coisa verdadeira. Não sou de demonstrar sentimentos ou qualquer coisa parecida e todos sabem disso.

Ao som de Remembering Sunday - All Time Low ;
Lyah.

Nenhum comentário:

Postar um comentário